O Que E Onde Fica O Rio De La Plata?

Descrição

O Rio de la Plata é um estuário em forma de funil formado pela confluência dos rios Uruguai e Paraná, na costa leste da América do Sul. As águas do estuário drenam para o Oceano Atlântico. A cabeça do Rio da Prata é composta pelo delta do rio Paraná e pela foz do Uruguai. O estuário estende-se por uma distância de 290 km, alargando-se a uma distância decrescente do mar, variando de cerca de 2 de quilómetros de largura perto da sua nascente a quase 220 de quilómetros de largura perto da sua foz. O Rio da Prata forma uma fronteira natural entre os países sul-americanos do Uruguai e da Argentina, e as terras circunvizinhas são algumas das áreas mais densamente povoadas de cada um desses países. Muitas cidades portuárias importantes da Argentina e do Uruguai, bem como suas respectivas capitais de Buenos Aires e Montevidéu, estão localizadas ao longo deste estuário.

Papel Histórico

Antes da chegada dos europeus, a terra e em torno da área do Rio de la Plata era ocupada pelos povos indígenas da América do Sul. A primeira exploração detalhada deste estuário foi realizada por exploradores espanhóis e portugueses no século 16. Sebastian Cabot foi o primeiro a criar um mapa detalhado da região do Rio da Prata, após navegar pelo estuário para fins comerciais entre os anos 1526 e 1529. Com a introdução de métodos agrícolas modernos e expansões de comércio ao longo do estuário, os assentamentos humanos logo tiveram mais permissão para florescer ao longo das margens do Rio da Prata. Com o fim do domínio colonial europeu na região, vários dos recém-formados países independentes da América do Sul concentraram sua atenção no controle da terra promissora ao redor do Rio de la Plata. A Guerra Civil Argentina, a Guerra Cisplatina, a Guerra de Platine, a Guerra do Paraguai e a Guerra do Chaco foram travadas entre os países sul-americanos, com foco no controle dos abundantes recursos naturais presentes no Rio da Prata.

Significado moderno

A região do Rio da Prata é atualmente o lar de algumas das regiões mais densamente habitadas da Argentina e do Uruguai. Quase 70% da população do Uruguai vive perto desta região. O maior porto da América do Sul e a capital da Argentina, Buenos Aires, ficam nas margens ocidentais do estuário, e 96% do tráfego costeiro do país é controlado apenas por esta única cidade portuária. Grandes volumes de exportação de carne e cereais da Argentina e do Uruguai são feitos pelos portos localizados ao longo do Rio da Prata. As indústrias necessárias para o processamento desses produtos de exportação também são construídas ao longo das margens desse estuário. A reserva natural da Reserva Ecológica Constanera Sur, a leste de Buenos Aires, também é um ponto turístico. Este ecossistema único de zonas húmidas, com a sua vasta gama de flora e fauna, atrai turistas de todo o mundo. Mais de 500 espécies de aves podem ser vistos nesta região protegida.

Habitat

O Rio da Prata suporta uma ampla variedade de vida vegetal e animal. A zona do alto rio Paraná, a leste do Rio de la Plata, sustenta o crescimento de florestas ricas nessas árvores perenes do pinheiro-do-paraná. A parte inferior da Bacia do Paraná é composta principalmente por vastas extensões de pastagens, após a maior parte ser desmatada para pastagem de animais e cultivo. O Delta do Rio Paraná e a região do estuário do Rio da Prata apóiam a flora típica de um ecossistema pantanoso sul-americano, como o jacinto de água, o lírio-da-amazônia e a guama, só para citar alguns. Algumas espécies animais importantes dos ecossistemas do Rio da Prata incluem o raro e "vulnerável" golfinho da La Plata, jaguares, antas e jaguatiricas, juntamente com várias espécies de tartarugas do Rio da Prata, que incluem os gostos dos "vulneráveis". Tartaruga-cabeçuda e tartaruga-de-couro, e tartaruga marinha "ameaçada". Além de tartarugas, outros répteis, como o jacaré, cascavéis, iguanas e víboras, bem como várias espécies de anfíbios, também prosperam na região do Rio da Prata. As espécies de peixe 350, das quais 85 são endêmicas, são encontradas também na Bacia do Prata. Estes incluem peixes como a piranha carnívora, o pacu, o dorado, os bagres e a manduva, todos abundantes nas águas do estuário. Quase 650 espécies de aves nidificam nesta região também, incluindo uma variedade de papagaios, águias e papagaios.

Ameaças e disputas

Embora um grande número de pessoas dependa das águas do Rio da Prata e de seus rios para o consumo doméstico de água, a poluição dessas mesmas águas dos resíduos industriais e dos esgotos, assim como o uso de agrotóxicos e fertilizantes terras, levou a um declínio acentuado na qualidade da água aqui. O desmatamento em grande escala de terras e o uso de práticas agrícolas mecanizadas ao longo dos rios Uruguai e Paraná provocaram erosão e sedimentação do solo em toda a região do Rio da Prata. A introdução de espécies não nativas da Ásia e da África, como mexilhões dourados, nas águas do Rio da Prata por navios que abrigam essas espécies em seus cascos, correntes e quilha ameaça ainda substituir a flora nativa aquática do ecossistema da zona úmida. Essas áreas invasivas estão perturbando a cadeia alimentar e, assim, deslocando as espécies nativas da região e seus papéis ecológicos.